“Que minha coragem seja maior que meu medo e que minha força seja tão grande quanto a minha fé.”-Simone Silva. ( Créditos | Cortesia : Acervo Pessoal Simone Silva | ( C ) @round13boxe | Reprodução Instagram | Divulgação ).

Atualmente, o MMA, esporte que já foi tido como predominantemente masculino, especialmente no Brasil, vem dado o merecido espaço para as lutas femininas e sedimentando a carreira de grandes lutadoras.

Após o advento das pioneiras Gina Carano, Miesha Tate e do fenômeno Ronda Rousey, uma nova safra de lutadoras está se fazendo notar em todo o mundo e inspiradas, principalmente, no sucesso de Cris Cyborg, Amanda Nunes, Mackenzie Dern e Amanda Ribas, entre outras brasileiras que brilham no UFC, Bellator e Invicta FC.

Por falar em atletas brasileiras, trazemos nessa matéria outra guerreira extraordinária e dona de uma impressionante história de vida.

Simone Aparecida da Silva, conhecida pela alcunha de ‘Cat Woman’ ( ou “Mulher Gato”, em português ), iniciou no mundo das artes marciais e esportes de contato treinando boxe com o seu Pai, Sr. Baltazar, na cidade de São Paulo, quando tinha apenas oito anos de idade. Ela fez a sua primeira luta aos doze anos e desde então não parou mais.

Ao completar treze anos, o seu Pai à trouxe para Santos, cidade do litoral paulista, onde começou à treinar na equipe do Memorial Arena.

No boxe amador, Simone Silva sagrou-se quatro vezes campeã brasileira, campeã paulista dos jogos aberto e 4° lugar no pan-americano da Argentina.
Aos vinte anos, a atleta estreou no boxe profissional e ao longo de sua caminhada conquistou títulos importantes como os de campeã brasileira de boxe, campeã de boxe no Arizona-EUA, campeã internacional na África do Sul e campeã mundial da WBU, na Alemanha.

Ainda como parte de sua carreira profissional, a pugilista já lutou em Miami, nos EUA, além de acumular participações – também – no Boxing For You, promoção que é considerada a maior plataforma do boxe da América do Sul na atualidade.

Simone, que já foi considerada a principal boxeadora profissional brasileira, atualmente ostenta um cartel no pugilismo composto por 17-16, sendo 6 “KO”.

A pugilista migrou para o MMA em 2010 quando fez a sua primeira luta na modalidade. De lá para cá, conquistou o cinturão de campeã brasileira no Jungle Fight, venceu duas lutas no Shooto Brasil e competiu no SFT, classificado como o maior evento de MMA brasileiro na atualidade e que conta com transmissão ‘ao vivo’ pela BAND TV.

A paulista, inclusive, já teve a oportunidade de viajar para a China e competir no Kunlun Fight, quando lutou com a chinesa Weili Zhang – atual campeã na categoria peso palha do UFC – e apesar de não ter saído com a vitória, mostrou que tem futuro no esporte.

Aos 37 anos e preocupada em dar continuidade à sua carreira, Simone tem se entregado à uma extenuante rotina de treinos dividida em parte física ( manhã ) e parte técnica ( à tarde ), quando pratica boxe, Muay Thai e Jiu-Jítsu.

Não custa lembrar que a lutadora, especialista em ‘trocação’, mantêm um “recorde” profissional no MMA de 8-2. A atleta compete na categoria até 56.7 kg ( peso mosca ), tanto nesta modalidade quanto no boxe.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 04/03/2021

Simone “Mulher Gato” Silva luta na categoria até 56.7 kg tanto no boxe quanto no MMA. ( Créditos | Cortesia : Acervo Pessoal Simone Silva | Divulgação ).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.